• Roseli

DRUK: mais uma rodada


Filme do dinamarquês, Thomas Vinterberg, é candidato ao Oscar de filme estrangeiro de 2021. Tem sido considerado um filme cuja temática é o alcoolismo. A obra vai muito além disso, inclusive por apontar a questão da bebida em um país em que segundo uma personagem “aqui todo mundo bebe”.

De fato, a questão alcoólica perpassa todo o filme a começar por quatro amigos que resolvem testar uma teoria de um psiquiatra que apontou o tópico de que o ser humano nasce com uma deficiência de álcool no organismo.

Considerando que esses quatro amigos professores atravessam uma difícil fase, talvez a chegada da meia idade, percebida pelo aniversário de Nikolaj que completa 40 anos e enseja no encontro vários brindes.

Há toda uma relação de melhoria de performance aliada à ingestão de álcool até que, se exagerada, a falta de limite começa a deixar vítimas. O filme deixa isso bem claro, de forma transparente. No entanto, o culpado não é o álcool, mas o uso que dele se faz para atingir algo: dar a melhor aula, aquela que agrade a estudantes adolescentes, ter sexo mais performativo, estimular exercícios físicos, melhorar a audição do coral de alunos, enfim, na dose certa tudo acontece como planejado.

Mas o ser humano é como em tudo capaz de querer sempre mais. Ultrapassa limites e o resultado pode ser fatal porque potencializa a tristeza, a solidão, as desavenças. Nada a ver com moralismo. É bom que se diga. O tema é no fundo a amizade. O elo que faz o mundo girar.

Confira o trailer no Youtube - https://www.youtube.com/watch?v=r3jPVVvpQOA

Veja minha palestra para o Cultura em foco https://zoom.us/rec/share/opZCu5J7FudRMRMdBz0WTtng1IuH7S5D4m8is5zmXl_oPdcMQBBP9K1jES7xQGCe.ZvfYbj1EeU3mgF5J

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo