Gêmeos e a identificação


No imaginário popular, a figura de gêmeos costuma ser intrigante. Muitos afirmam que irmãos gêmeos podem sentir um ao outro, mesmo estando longe. Dizem também que eles são iguais em tudo como, por exemplo, personalidade, escolhas e, claro, aparência. Principalmente em gêmeos univitelinos, gerados a partir de um mesmo óvulo na mesma placenta.

O cinema e a literatura eternizaram algumas narrativas em que gêmeos são protagonistas. De Um Corpo que Cai (Vertigo, 1958), de Alfred Hitchcock , a Gêmeos: Mórbida Semelhança (Dead Ringers, 1988), de David Cronenberg, esses duplos causam calafrios.

Em nossa cultura, encontramos as figuras de Cosme e Damião, santos, irmãos gêmeos que morreram por volta de 300 d.C. Crê-se que foram médicos, e sua santidade é atribuída pelo motivo de haverem exercido a medicina sem cobrar por isso, devotados unicamente à fé. Esses irmãos são ícones entre nós porque a eles é entregue a tarefa de distribuir doces às crianças. Cultuados pela umbanda acabaram amealhando discórdias sobre a santidade deles. Como Ibejis, divindades gêmeas, são sincreticamente associados. Justamente por serem gêmeos, são associados ao princípio da dualidade; por serem crianças, são ligados a tudo que se inicia e brota: a nascente de um rio, o nascimento dos seres humanos, o germinar das plantas etc.

Assim, no cinema ou na mitologia ou na literatura, gêmeos – mesmo no zodíaco – costumam provocar questionamentos. Para a psicanálise não seria diferente. Freud aponta que o duplo é marcado pelo fato de que o sujeito se identifica com outra pessoa, de tal forma que fica em dúvida sobre o que é o seu eu ou substitui o seu próprio eu por um estranho. Em outras palavras, há uma duplicação, divisão e intercâmbio do eu. Fácil ver que em gêmeos a identificação pode ser mais complicada, já que um quarto dos gêmeos idênticos (univitelinos) é de ‘espelhados’. Significa que eles são reflexos exatos um do outro, com traços invertidos. Um pode ser destro, e o outro, canhoto. Os dois podem ter sinais de nascimento iguais, como uma manchinha, mas em lados opostos do corpo. Imaginem que, se Narciso acha feio o que não é espelho, entre gêmeos suas imagens são mesmo preciosas.

Dizem especialistas da igreja que os gêmeos, Cosme e Damião, morreram decapitados pela mesma espada. Nem todos os agrados e doces conseguiram livrá-los da maldade humana.

Confira a Live no canal do Instituto Legus - Cultura em Foco.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo