top of page
  • Foto do escritorRoseli

VILA MARIA ZÉLIA


Em 9 de dezembro de 1992, a Vila Maria Zélia no intermeio dos bairros Brás e Belenzinho, foi finalmente considerada patrimônio histórico e foi tombada. Há certa ironia nesse desfecho porque quem visita a Vila encontra muita coisa de fato tombada, carcomida, destruída pelo tempo. Em que pese o tombamento, a Vila tem muitos prédios que pertencem ao INSS que não efetua uma reforma mantendo a história e nem permite que outros o façam.

Mas a Vila já teve dias de glória. Ela começou a ser construída em 1911 para abrigar residências e áreas de uso coletivo dos operários da fábrica Nacional de Tecidos de Juta. Era então uma vila operária e uma fábrica. Poucas das famílias dessa época ainda estão vivas e mesmo seus familiares e descendentes perderam esse espaço de moradia. Outros que ficaram, a despeito do tombamento, reformaram as casas e tiraram delas suas características históricas de uma época.

Sempre há esperanças de que a Vila possa ser reestruturada e vista como um importante ponto turístico e de patrimônio histórico. Em 1996 foi criada a Associação Cultural por moradores interessados na preservação da Vila. Para incentivar o movimento, o local conta com Grupo de Teatro, com o Armazém da Memória e um Centro de Memória Vila Maria Zélia.

É preciso preservar a memória. Esse local serviu muitas vezes a filmagem de obras com Mazzaropi. Por enquanto, ainda é possível rever muitos espaços da Vila nesses filmes. Por quanto tempo ninguém sabe. É preciso preservar a memória.

Acompanhe a Live no YouTube do instituto Legus.

0 visualização0 comentário
bottom of page